Comunicação Pública

Comunicação Pública

A comunicação deve ser instrumento de contribuição para a garantia dos direitos humanos. Para tanto, é fundamental promover a diversidade de estruturas e possiblidades de comunicação em âmbito nacional e estadual. A falta de diversidade é uma marca das estruturas de comunicação no Brasil. Apenas cinco famílias controlam 50% dos principais veículos de mídia. Esse oligopólio é uma das heranças do regime militar, que impõe a ditadura do discurso único e faz mal a democracia.

A comunicação pública é um instrumento fundamental à democracia, de contraponto ao discurso hegemônico, que manipula a massa e destrói reputações que contrariam seus interesses. Ao contrário de países como a Inglaterra, França, Estados Unidos, Alemanha, entre outros, não há no país a Lei dos Meios de Comunicação, nem investimento na Comunicação Pública.

Precisamos avançar na estruturação das políticas de comunicação, que serão sempre articuladas de forma transversal com as demais áreas, em especial, cultura, direitos, educação, agricultura familiar e agroecologia e meio ambiente. Precisamos fortalecer a indústria audiovisual na Bahia com fomento, promoção, capacitação e qualificação profissional; vamos apresentar um projeto de lei que institui um fundo estadual da comunicação pública; precisamos fortalecer a TVE Bahia e a Rádio Educadora FM, ampliando a abrangência do sinal digital para os municípios do interior, além de implementar uma estratégia de divulgação dos veículos de comunicação pública e ampliar a presença da Rádio Educadora FM através de uma rede de rádios públicas no interior.

Nestas eleições vote em quem tem história e coragem pra lutar pela Comunicação Pública. Vote 13 140 pra #DeputadoEstadual! #MarcelinoGalo #LulaPresidente #RuiCorreria #CoragemPraLutar